LIMPEZA QUÍMICA E INIBIDORES PARA ÁCIDOS





KEBO NO BRASIL
UDO LÖW Comercial Ltda
E-mail : udolow@kebo.com.br
Tel: (11)   5097-6715
(11) 9941-7208
São Paulo - SP

 

 

 


LIMPEZA DE EVAPORADORES


Incrustações e transferência de calor


Durante a evaporação do caldo clarificado nos evaporadores da industria de açúcar, formam-se incrustações, que pelas suas características são maus condutores de calor e reduzem a troca térmica.

Por esta razão a remoção química das incrustações é um fator importante do ponto de vista econômico no consumo de vapor.

Composição das incrustações

Os agentes formadores de incrustação encontrados no caldo clarificado são fosfato de cálcio / hidroxiapatita (Ca3(PO4)2 / [Ca3(PO4)2]3 . Ca(OH)2), oxalato de calcio (CaC2O4 . aq), sulfato de calcio (CaSO4) e possivelmente também sulfito de cálcio (CaSO3), além de silicato (SiO2 . aq). Ao exceder seus limites de solubilidade no caldo, precipitam com formação cristalina sobre as superficíes de aquecimento de evaporadores. Todas as incrustações formadas contém compostos orgânicos degradados bem como pequenas quantidades de Fe2O3 e Al2O3.

O principal agente formador de incrustações no primeiro efeito é fosfato de cálcio. Os silicatos, além do oxalato de cálcio, predominam nos últimos efeitos. Não podem ser estabelecidas regras exatas. Incrustações de sulfato de cálcio podem se formar no caso de usinas que praticam a sulfitação.

Remoção química das incrustações

Em substituição da limpeza mecânica a limpeza química vem ganhando mais importância com a aplicação de evaporadores de película, de alta eficiência térmica.

Procedimentos já estabelecidos pela literatura técnica (1), (2), se baseiam na aplicação de álcalis e ácidos. O efeito das soluções alcalinas pode ser muito melhorado pela adição de aditivos. No caso de uso de ácidos é absolutamente necessário o uso de um inibidor de corrosão.

KEBO - Procedimentos de limpeza

Estes procedimentos são baseados na nossa experiência adquirida ao longo de mais de 50 anos na indústria de açúcar de cana e beterraba.

O seguinte procedimento padrão com álcalis e químicos especiais mostrou sucesso nas usinas de cana de açúcar:

  • Soda Caustica (NaOH) com concentração de até 12%;

  • Carbonato de Sódio com concentração de 1 a 3 % (se necessário);

  • 1.5 % de aditivo sequestrante e surfactante KEBOPLEX SC.
A soda cáustica deve ser usada com o carbonato de sódio, em conjunto com KEBOPLEX SC sobretudo nos últimos efeitos, pela presença de sulfatos, oxalatos e silicatos. Esta solução alcalina pode ser usada várias vezes antes de ser descartada.

Detalhes adicionais sobre os efeitos e a aplicação do aditivo podem ser observados no nosso boletim técnico para o KEBOPLEX SC.

Para a proteção de superfícies de metal durante a limpeza ácida os seguintes inibidores de corrosão estão disponíveis:

  • Para soluções de até 3% de ácido clorídrico (HCl): 0.25 % LITHSOLVENT 620. Ácido clorídrico não deveria ser usado para aços Cr - Ni !

  • Para soluções de até 5% de ácido fórmico ou sulfâmico: 0.25 % LITHSOLVENT CS

  • Para soluções misturadas de ácidos (por exemplo, 8 % ácido sulfâmico com 1.5 % ácido fluorídrico): 0.5 % LITHSOLVENT EB livre de cloro

Estes inibidores são resistentes a altas temperaturas.

Seqüência de Limpeza

  1. Tratamento alcalino por aprox. 5 horas na temperatura mais alta possível. Por Imersão ou recirculação, também pode ser usado com pulverização.

  2. Enxaguar com água.

  3. Tratamento ácido, se necessário, por exemplo quando ainda restarem incrustações residuais após a limpeza alcalina.

  4. Enxaguar com água.

  5. Neutralização dos resíduos ácidos com uma solução de 1a 2% de soda cáustica.
O procedimento de limpeza alcalina aplicado corretamente às superfícies tem se mostrado em muitos casos, bastante eficaz de forma que o tratamento ácido não seria necessário.

Consultoria Técnica

Caso solicitado poderemos analisar as incrustações em nosso laboratório especializado e elaboraremos um procedimento otimizado de limpeza